O controle Razer Kitsune é quase perfeito para os jogos de luta, exceto por um motivo…

Se você, assim como eu, cresceu perto dos famosos “fliperamas” — lugares duvidosos, cheirando mal, com um monte de máquinas clones e bebuns falando besteira — em meados dos anos 80 e 90, há uma grande chance de você ser fã de jogos de luta. Estou falando principalmente os ‘one vs one’, no caso, o famoso street fighter, mas seguido por clássicos como The King of Fighters e Mortal Kombat.

Depois dos arcades, os clássicos foram parar nos consoles domésticos, começando pelo Super Nintendo (até hoje não sei como conseguiram enfiar Street Fighter II Turbo naquele cartucho) e depois se popularizando em outros consoles, aparecendo até no NES. Foi diversão instantânea, sim, mas algo estava faltando para a diversão ficar completa: Um bom e velho controle de arcade. As empresas claro, que não são bobas nem nada, correram e produziram uma série de controles arcades, como o “Arcade Power Stick” do mega, e tantos outros, principalmente para PC, onde começaram a fazer uma adaptação de controles de arcade de madeira com controles com fio, muitas vezes soldando os fios em uma placa de controle do tipo pad. E funcionava!

O Arcade Power Stick era muito gostoso de jogar.

Por muito tempo esses controles foram o supra sumo da proximidade do arcade e de desempenho, usados principalmente em campeonatos oficiais de jogos de luta como o famoso EVO, que a mais de 20 anos promove campeonatos espetaculares.

Recentemente, inclusive na EVO, começaram aparecer controles sem o manche. Inspirados (e provavelmente impulsionados) em pessoas que são acostumadas em jogar no teclado, estes controles tem apenas os botões no lugar do manche.

Foram feitas algumas versões, usando botões bem duvidosos.

Batizado de HitBox, a ideia é fazer com que tenhamos mais agilidade ao dar os golpes, afinal estando com um dedo em cada botão é muito mais rápido do que mover um controle, além do que é (dizem) mais fácil para decorar os golpes.

Pegando a onda, alguns “HitBox” novos foram lançados, e ainda, uniram o Swich do teclado mecânico (que também está popular entre os gamers), com perfil baixo, podendo fazer um controle mais fino e leve, capaz de caber em qualquer mochila, como o Snax Box Micro.

Cabem até em um envelope!

A Razer, uma das maiores produtoras de acessórios gamer do mundo, entrou na onda e produziu o seu. Batizado de Razer Kitsune, o controle promete ser leve, preciso, bonito, durável e personalizável.

Sonho de consumo?

O grande problema, e não é um desmérito apenas da Razer, é o preço que estão cobrando. Lançado la nos EUA no final do mês passado pela bagatela de US$ 299.00. Por aqui já é possível encontrar por míseros R$ 3.529,40. O que pode (e vai) afugentar muita gente.

A questão aqui nem é pela qualidade do produto, que com certeza é espetacular, mas sim o preço. Já que teclados mecânicos de excelente qualidade e com o mesmo switch (e muito mais botões) pode ser encontrado por menos de mil reais aqui no Brasil. Vai entender.

E ai, vai comprar o seu?

Apaixonado por jogos retrô, tecnolgia, programação, fotografia e aviação.